terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Deus é que nos ajuda!




Não perca a confiança!


"Confia sempre, não percas a tua fé entre as sombras do mundo. 
Ainda que os teus pés estejam sangrando, 
segue para frente, 
erguendo-o por luz celeste, acima de ti mesmo.
Crê e trabalha. 
Esforça-te no bem e espera com paciência. 
Tudo passa, e tudo se renova na terra, 
mas o que vêm do céu sempre permanecerá.

De todos os infelizes os mais desditosos são os que
 perderam a confiança em Deus e em si mesmos,
 porque o maior infortúnio é sofrer a provação
 da fé e prosseguir vivendo.

Eleva, pois, o teu olhar e caminha. 
Luta e serve. 
Aprende e adianta-te. 

Brilha a alvorada além da noite. 
Hoje hoje é possível 
que a tempestade te amarfanhe o coração
e te atormente o ideal, 
aguilhoando-te com aflições
ou ameaçando-te com a morte...

Não te esqueças, porém, de que amanhã será outro dia."

(Autor Desconhecido)







Nosso fotografo e câmera, O irmão Jonata Oliver! Que nos ajuda bastante!

domingo, 22 de janeiro de 2012

Cuidado com as más companhias


Não vos enganeis. As más companhias corrompem os bons costumes.
 I Coríntios 15:33.


As influências de pessoas na vida de um homem ou mulher pode ser fatal quando divorciada do amor, da fé, da pureza, da humildade,enfim, andar com pessoas encrenqueiras, fofoqueiras, mal educadas, que são insubordinadas, sem afeição natural, é o cáus para uma vida cristã genuína, vemos que Satanás pega essas pobres almas cheia de simplicidade não advindas da formação pela Palavra e ludribia as mesmas para após laçadas corromper o que com tanto trabalho líderes de Deus forjaram pela imagem de Cristo neles, fico a pensar como será que haverá um verdadeiro dicipulado nessas pessoas, como deus poderá trabalhar se os valores, os fundamentos cristão começam a desabar pela pequena influencia de um falsário , de um mal caráter infiltrado no meio da sociedade, das casas ou das igrejas.Creio firmimente que as influências só atacam mais poderosamente naqueles que preferem os fundamentos da facilidade e da mediocridade, não aprendem a obediência, o caminho da cruz,preferem as palmas nas costas, os grandes títulos, os primeiros lugares, vendem a alma, o amor de Deus, a verdade de Deus e por a mentira suja e desonesta de um diabo.O perigo maior é que essas maus companhias são a causa de destruição de Igrejas de casais de irmãos, de prosperidade de crescimento.Que Deus abra nossos olhos espirituais para vermos essas artimanhas sempre onde estivermos.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

video



Louvado na Igreja Assembleia de Deus em Itapissuma Templo Sede! No ENCONJADI (Encontro de Jovens e Adolescentes da Assembleia de Deus em Itapissuma)

O Arrependimento

Atos 17:30A mensagem: Que Deus tem um recado urgente de arrependimento que dirige a toda criatura humana.
Introdução: A pregação do arrependimento chama a nossa atenção para Deus e para as nossas relações com Ele. É vantajoso largar, às vezes, a nossa preocupação com os homens e pensar somente em Deus. O ouvinte tem feito isso?

1 – QUE É O ARREPENDIMENTO?

a) Não é o mesmo que o remorso.
b) Não é apenas a pessoa reprovar certas ações, certos pecados seus — frutos maus.
c) É reprovar, na presença de Deus, a má árvore que produziu os frutos.

2 – POR QUE É NECESSÁRIO?

a) Porque Deus vai pedir contas.
b) Porque não podemos enfrentar o futuro sem liquidar o passado.
c) Porque o poder do pecado em nós aumentará, se não for reprovado sinceramente.

3 – QUANDO?

Agora!
a) Porque não temos certeza de viver mais tempo.
b) Porque a demora endurece o coração.
c) Porque perdemos a bênção de hoje se deixarmos o arrependimento até amanhã.

4 – QUE PODE PRODUZIR O ARREPENDIMENTO?

A bondade de Deus (Rm 2.4)
a) Não é o medo do inferno, ainda que isso seja salutar.
b) A longanimidade de Deus, que nos trata com paciência.
c) A bondade de Deus, que quer abençoar-nos logo que estejamos dispostos a receber a Sua bênção.

5 – QUE RESULTA?

A fé.
a) Porque quando alguém julga seu mal, procura o bem.
b) Se é arrependimento para com Deus, resulta em fé para com o Senhor Jesus Cristo.
c) Produz frutos dignos de arrependimento.
Aplicação: Que significa para o ouvinte ó ensino bíblico de arrependimento? De que se tem arrependido? Qual o resultado no seu caso?

RIQUEZAS QUE NÃO ACRESCENTAM DORES

TEMA: RIQUEZAS QUE NÃO ACRESCENTAM DORES 
“A bênção do SENHOR é que enriquece, e não acrescenta dores.” (Pv 10.22).

Há muitas riquezas que o ser humano contrai, e muitas delas não provêm de Deus por serem mal adquiridas. Entretanto, essas opulências acrescentam problemas e dores, mas as bênçãos do Senhor não são assim. Por isso vale mais o pouco que o justo tem, do que as riquezas de muitos ímpios (Sl 37.16).

Riquezas materiais
Elas não trazem felicidade, mas perturbações e angústias. O medo de perdê-las inquieta os homens, e as aspirações de querer mais não os deixa dormir. A sua busca, incessantemente, pode levar o indivíduo à tentação para pecar e fazê-lo cair na desgraça (I Tm 6.9,10,17). Não podemos dizer que não é normal o indivíduo adquirir bens materiais: casas, terras, carros, ou seja, gerar patrimônios para a sua posteridade, porque também isso é Dom de Deus, no entanto devemos ser cautelosos (Ec 5.19).

A busca desordenada pelas riquezas tem levado (a) muitos a adquirirem riquezas e fama; em contrapartida, essas coisas mal adquiridas terminam em tragédias. “Porque o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviam da fé e se transpassam a si mesmos com muitas dores” (I Tm 6.10, Ec 5.10). “A riqueza adquirida às pressas diminuirá, mas quem ajunta pouco a pouco terá aumento” (Pv 13.11). Esses desejos intensos de ter levam o indivíduo a esquecer que, antes do ter é ser. Devemos ter ciência que a nossa existência vale mais do que qualquer outra coisa. Jesus mostrou aos discípulos que eles eram mais valiosos que as coisas; os discípulos naquele momento não pensavam que seriam tão importantes (Mt 6.19-34). Existem coisas mais relevantes do que as riquezas. Jesus mostrou ao moço rico que a salvação estava acima de tudo (Lc 18.22,23). “Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas” (Lc 18.24,25).

A Prosperidade 
As pessoas desejam que os seus bens sejam multiplicados, no entanto devemos pensar o seguinte: “Quando os bens se multiplicam, também se multiplicam os que deles comem. Que mais proveito tem aos seus donos do que os ver com os seus olhos?” (Ec 5.11). Mesmo assim os seus donos sentem prazer em tê-los. Quando os bens se multiplicam muitas vezes não se sabe a razão. “Semeou Isaque naquela terra e, no mesmo ano recolheu cem vezes mais, porque o Senhor o abençoava.” (Gn 26.12-14). Deus é quem conduz o homem à prosperidade, quando este lhe dá lugar (Gn 26.2;39.2,3; Js 1.8;I Cr 22.13;Dt 29.9; Sl 1.2,3). O segredo de toda prosperidade foi a obediência de Isaque. Por essa razão muitos ficam preocupados com o desenvolvimento de algumas pessoas e dizem: Como pode ser isso?

Nem sempre a prosperidade está relacionada ao dinheiro e bens materiais. Existem pessoas que nada têm, entretanto são ricas, outros são ricos, porém pobres (2 Co 6.10; Tg 2.5). A riqueza interior “caráter” e espiritual são as maiores. Outra coisa que necessitamos saber é que a pobreza nem sempre está relacionada ao pecado e maldição. Jesus, dono de tudo, se fez pobre (Mt 8.20). Em um jantar em Betânia em casa de Lázaro, Jesus viu alguém com uma falsa piedade pelos pobres e disse: Porque os pobres sempre tendes convosco (Jo 12.8). O Senhor fez todas as coisas para determinados fins, fez tanto o rico, quanto o pobre (Pv 22.2). Os ricos devem ter muito cuidado para não oprimir o pobre, pois o Senhor defenderá a sua causa (Pv 22.22, 23), os ricos que assim procedem receberão a justa condenação (Tg 5.1-7).

A bênção divina traz prazeres e júbilos em vez de tristeza. Citamos anteriormente que as bênçãos espirituais são grandes riquezas de Deus para seus filhos. Muitos servos de Deus partiram, e materialmente nada tinham, no entanto foram consolados. Temos uma parábola importante a qual envolve relacionamento entre o pobre e um rico, nele o rico desprezava o pobre, e Deus não se agradou das atitudes daquele rico e deixou-lhe fora do paraíso divino, enquanto Lázaro gozava no seio de Abraão (Lc 16.19-31; Mt 5.4). Pobreza não é maldição, mas circunstâncias, Jesus não desprezou nenhum deles. “Levantando ele os olhos para os seus discípulos, disse: Bem-aventurados vós, os pobres, pois vosso é o Reino de Deus” (Lc 6:20). Os pobres na esfera divina são valiosos. “Ouvi, meus amados irmãos: Porventura, não escolheu Deus aos que são pobres aos olhos do mundo para serem ricos na fé e herdeiros do Reino que prometeu aos que o amam?” (Tg 2:5).

“Digo aos ricos deste mundo tratem os pobres com dignidade, e aos ricos de espírito enriqueçam os pobres”

Pr. Elis Clementino – Itapissuma –PE/Brasil

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Louvor e Adoração a Deus!


LOUVOR

Louvar: elogiar, exaltar, enaltecer, glorificar, confirmar com elogio, aprovar, aplaudir, bendizer.

Heb 13:15 – Sacrifício de louvor, fruto de lábios que confessam seu nome
Expressão audível do reconhecimento das virtudes de Deus. É um estilo de vida, é uma atitude diante de Deus, dos homens, dos anjos e diante das circunstâncias.

Sal 150:6 – tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor

Sal 149:1-9 – louvor é uma expressão corporal completa, com danças e cânticos de alegria; também é arma de guerra espiritual







ADORAÇÃO

Adoração é uma função do espírito humano, portanto é mais profundo que o louvor. Revela uma rendição plena ao Senhor, um amor profundo e verdadeiro, uma capacidade de enxergar quem é o Senhor e quem nós somos; é a única forma de verdadeiramente entrar na presença de Deus e conhecê-lo, na intimidade. Aquele que adora conhece o seu Deus, e então vive as maravilhas deste relacionamento, e tem o poder de Deus à disposição.

João 4:20-24 – adorar em espírito e em verdade

Lucas 4:7 – é o que Satanás procura, pois quer usurpar o trono de Deus

Apoc 9:20 – …adorar aos demônios, e aos ídolos de ouro, de prata, de bronze, de pedra e de madeira…

Apoc 13:4 – … e adoraram o dragão, porque deu à besta a sua autoridade; e adoraram a besta…

Mat 8:2-3 – o leproso adorou Jesus e foi curado


quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

video
Louvando A Deus na Igreja Assembleia de Deus em Itapissuma IV, encerramento da festividades da Umadi!!

Grupo Elo E Willian Nascimento!





Salvação!


Pergunta: "Um cristão pode perder a salvação?"

Resposta: Antes de responder a essa pergunta, o termo “cristão” precisa ser definido. Um “cristão” não é uma pessoa que fez uma oração, foi para a frente do santuário ou cresceu em uma família cristã. Embora cada uma dessas coisas possa fazer parte da experiência cristã, não é isso o que “faz” um cristão. Um cristão é alguém que recebeu a Cristo através da fé e confiou n'Ele como o seu único Salvador (João 3:16; Atos 16:31; Efésios 2:8-9).

Então, com essa definição em mente, pode um cristão perder a salvação? Talvez o melhor jeito de responder a essa pergunta tão crucial seja examinar o que a Bíblia diz que acontece no momento da salvação e estudar o que perder a salvação significaria. Aqui são alguns exemplos: 

Um cristão é uma nova criação. “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; {criatura; ou criação} as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas” (2 Coríntios 5:17). Esse versículo está falando de uma pessoa se tornando uma criatura completamente nova como resultado de estar “em Cristo”. Para um cristão perder salvação, a nova criação teria que ser cancelada e revertida.

Um cristão é redimido. “sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula” (1 Pedro 1:18-19). A palavra “redimido” (resgatado) se refere a uma compra sendo feita, um preço sendo pago. Para um cristão perder a salvação, Deus mesmo teria que revocar a Sua compra pela qual pagou com o precioso sangue de Cristo. 

Um cristão é justificado. “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo” (Romanos 5:1). “Justificar” significa “declarar justo”. Todo aquele que recebe a Jesus como Salvador é “declarado justo” por Deus. Para um cristão perder salvação, Deus teria que voltar com a Sua palavra e “des-declarar” o que tinha previamente declarado. 

Um cristão tem a promessa da vida eterna. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). A vida eterna é uma promessa de eternidade (para sempre) com Deus no Céu. Deus promete: “acredite e você terá vida eterna”. Para um cristão perder salvação, a vida eterna teria que ser retirada. Se um cristão tem a promessa de que viverá para sempre, como então Deus pode quebrar essa promessa e retirar a vida eterna?

Um cristão tem a garantia da glorificação. “E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou” (Romanos 8:30). Como aprendemos em Romanos 5:1, a justificação é declarada no momento de fé. De acordo com Romanos 8:30, a glorificação é garantida a todos que Deus justifica. Esse termo se refere a um cristão recebendo um corpo de ressurreição perfeito no Céu. Se um cristão puder perder a salvação, então Romanos 8:30 está errado porque Deus não pode garantir a glorificação para todo aquele que Ele predestinou, chamou e justificou. 

Muitas outras ilustrações do que ocorre no momento de salvação podem ser compartilhadas. Até essas poucas que compartilhamos, no entanto, deixam bem claro que um cristão não pode perder a sua salvação. A maioria, se não tudo, do que a Bíblia diz que acontece com uma pessoa quando ela recebe a Jesus Cristo como Salvador seria eliminado se a salvação pudesse ser perdida. A salvação não pode ser revertida. Um cristão não pode deixar de ser uma nova criatura. A redenção não pode ser desfeita. A vida eterna não pode ser perdida e ainda ser considerada eterna. Se um cristão pudesse perder a salvação, Deus teria que voltar com Sua palavra e mudar de ideia – duas coisas que a Bíblia diz que Deus nunca faz.

As objeções mais frequentes à crença de que um cristão não pode perder a salvação são as seguintes: (1) o que dizer sobre aqueles que são cristãos e estão vivendo continuamente em um estilo de vida imoral? – e – (2) o que dizer daqueles que são cristãos mas no futuro chegam a rejeitar a fé e negar a Cristo? O problema com essas duas objeções é a suposição “são cristãos”. (1) A Bíblia diz que um cristão verdadeiro não vai viver continuamente em um estilo de vida imoral (1 João 3:6). (2) A Bíblia declara que qualquer um que abandone a fé está demonstrando que ele/ela nunca foi um cristão verdadeiro (1 João 2:19). 

Não, um cristão não pode perder a salvação. Nada pode separar um cristão do amor de Deus (Romanos 8:38-39). Nada pode remover um cristão da mão de Deus (João 10:28-29). Deus está disposto e é capaz de garantir e manter a salvação que nos prometeu. Judas 24-25: “Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeços e para vos apresentar com exultação, imaculados diante da sua glória, ao único Deus, nosso Salvador, mediante Jesus Cristo, Senhor nosso, glória, majestade, império e soberania, antes de todas as eras, e agora, e por todos os séculos. Amém!”

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Fotos






Eu Quero Ser um Vaso Novo

" Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de vós. Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos; levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo. Porque nós, que vivemos, somos sempre entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nossa carne mortal. De modo que, em nós, opera a morte, mas, em vós, a vida. Tendo, porém, o mesmo espírito da fé, como está escrito: Eu cri, por isso falei. Também nós cremos, por isso, também falamos” (II Coríntios 4: 6-13).

       Nessa passagem, Paulo nos compara com um vaso de barro. Ora, um vaso de barro é um objeto frágil, barato e fácil de ser achado. O apóstolo também se refere ao nosso corpo como o lugar da presença de Deus, então ele precisa ser resistente. Acontece que muitos de nós não estamos preparados para essa resistência e permanecemos como um vaso trincado.
       A bíblia fala de Maria, mãe de Lázaro, que tinha um vaso com um perfume precioso. Quando Jesus chega em sua casa, Maria quebra o vaso e lava os pés dEle com o perfume. Esse vaso está muito relacionado conosco. Para Deus somos preciosos pelo que temos dentro de nós, na nossa alma e no nosso espirito.
       A massagem de Paulo refere-se à delicadeza desse vaso, e tal qual, somos frágeis. No entanto, a bíblia afirma que Deus é o oleiro. Assim, cada vez que o nosso vaso é trincado, o Senhor termina de nos quebrar e depois nos restaura completamente. Mas isso só acontece quando queremos.
       Paulo reconhece que nesse mundo somos atribulados, porém jamais angustiados. A pessoa que reconhece ser um vaso de barro vive exatamente nessa situação. Pois a certeza de que Deus é o oleiro lhe dá forças para se reestruturar e com isso não se angustiar. Ele também afirma que, às vezes, ficamos perplexos, mas não desanimados. Ou seja, aquela pessoa na qual confiamos tanto pode até nos decepcionar, mas não devemos ficar desanimados. Também somos perseguidos por fazermos o bem, porém não somos desamparados. Podemos estar abatidos, mas não destruídos.
       O inimigo muitas vezes incute em nosso pensamento a idéia de que o casamento está desgastado, a família destruída, que a nossa vida não tem mais jeito. Contudo, devemos levantar a cabeça, renunciar a essas mentiras e nos apoiar no que o apóstolo Paulo diz em seguida:
 
  “Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia e em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêm são temporais. E as que não vêm são eternas”. (II Coríntios 4:16-18).

       Lembrem-se sempre de uma coisa: o vaso pode ficar sujo por fora, mas o que está dentro dele se renova a cada dia. Não olhem e nem dêem ouvidos ao que as pessoas falam de errado ou comentam a seu respeito. Antes, firme-se no que Deus tem para suas vidas. Faça como Maria, mãe de Lázaro, derrame o que há no interior do seu vaso nos pés de Jesus.
Autor:  Débora
Grupo Elo Asas da Alva


Quem deve louvar a Deus e como? A Bíblia diz em Salmos 150:1-6 “1Louvai ao Senhor! Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento do seu poder! Louvai-o pelos seus atos poderosos; louvai-o conforme a excelência da sua grandeza! Louvai-o ao som de trombeta; louvai-o com saltério e com harpa! Louvai-o com adufe e com danças; louvai-o com instrumentos de cordas e com flauta! Louvai-o com címbalos sonoros; louvai-o com címbalos altissonantes! Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor!”
O louvor é uma oferta espiritual. A Bíblia diz em Hebreus 13:15 “Por ele, pois, ofereçamos sempre a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.”
Louvar significa agradecer a Deus pelas suas muitas dádivas. A Bíblia diz em Salmos 103:2 “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum dos seus benefícios.”
Louve a Deus pelo seu perdão e por responder às nossas oraçôes. A Bíblia diz em Salmos 65:1-3 “A ti, ó Deus, é devido o louvor em Sião; e a ti se pagará o voto. Ó tu que ouves a oração! a ti virá toda a carne. Prevalecem as iniqüidades contra mim; mas as nossas transgressões, tu as perdoarás.”
Toda a criação é como uma sinfonia louvando a Deus pelo que Ele faz por nós . A Bíblia diz em Salmos 148 “Louvai ao Senhor! Louvai ao Senhor desde o céu, louvai-o nas alturas! Louvai-o, todos os seus anjos; louvai-o, todas as suas hostes! Louvai-o, sol e lua; louvai-o, todas as estrelas luzentes! Louvai-o, céus dos céus, e as águas que estão sobre os céus! Louvem eles o nome do Senhor; pois ele deu ordem, e logo foram criados. Também ele os estabeleceu para todo sempre; e lhes fixou um limite que nenhum deles ultrapassará. Louvai ao Senhor desde a terra, vós, monstros marinhos e todos os abismos; fogo e saraiva, neve e vapor; vento tempestuoso que excuta a sua palavra; montes e todos os outeiros; árvores frutíferas e todos os cedros; feras e todo o gado; répteis e aves voadoras; reis da terra e todos os povos; príncipes e todos os juízes da terra; mancebos e donzelas; velhos e crianças! Louvem eles o nome do Senhor, pois só o seu nome é excelso; a sua glória é acima da terra e do céu. Ele também exalta o poder do seu povo, o louvor de todos os seus santos, dos filhos de Israel, um povo que lhe é chegado. Louvai ao Senhor!”
Podemos louvar a Deus porque Ele é poderoso. A Bíblia diz em Salmos 21:13 “Exalta-te, Senhor, na tua força; então cantaremos e louvaremos o teu poder.”
Uma boa forma de louvar a Deus é através da música. A Bíblia diz em Salmos 33:1-3 “Regozijai-vos no Senhor, vós justos, pois aos retos fica bem o louvor. Louvai ao Senhor com harpa, cantai-lhe louvores com saltério de dez cordas. Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo.”
Louve a Deus ainda que o nosso coração esteja sofrendo. A Bíblia diz em Salmos 34:1-3 “Bendirei ao Senhor em todo o tempo; o seu louvor estará continuamente na minha boca. No Senhor se gloria a minha alma; ouçam-no os mansos e se alegrem. Engrandeci ao Senhor comigo, e juntos exaltemos o seu nome.”
Devemos louvar a Deus diáriamente. A Bíblia diz em Salmos 61:8 “Assim cantarei louvores ao teu nome perpetuamente, para pagar os meus votos de dia em dia.”
Louve a Deus por transformar o desgosto em felicidade. A Bíblia diz em A Bíblia diz em Salmos 30:11-12 “Tornaste o meu pranto em regozijo, tiraste o meu cilício, e me cingiste de alegria; para que a minha alma te cante louvores, e não se cale. Senhor, Deus meu, eu te louvarei para sempre.”
Louve a Deus pela Sua bondade. A Bíblia diz em Salmos 107:8-9 “Dêem graças ao Senhor pela sua benignidade, e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens! Pois ele satisfaz a alma sedenta, e enche de bens a alma faminta.”

Ser um adorador é o que Deus mais deseja que sejamos. Deus me chamou e nos chamou para sermos um adorador, Deus te fez para ser um adorador. Deus nos chamou para servi-lo, para fazer a sua obra, essa é uma das mãos pelas quais fomos formados, mas na outra mão Deus nos fez para termos comunhão com ele. E adoração nada mais é do que termos comunhão com Deus.
Quando Deus criou o homem no jardim do Éden, o criou para ter comunhão com Deus. Uma comunhão verdadeira, uma comunhão despretensiosa. A adoração começa num lugar secreto, intimo de comunhão com Deus.  Sem essa disposição de estarmos presença de Deus, não existe seminário de adoração, não existe nenhuma fórmula que se possa ensinar na vida da igreja de como é a verdadeira adoração.
Adoração não tem nenhuma fórmula para se conseguir, a não ser estar na presença do pai, no lugar secreto em intima comunhão com Ele. Adoração é o homem em comunhão com Deus. É Deus no cair da tarde no jardim do Éden visitando o homem e a mulher que ele criou e chamando-os pelo nome. É isso que Deus deseja e essa é a verdadeira adoração a que Deus nos convida.
Precisamos ter um lugar secreto de comunhão com Deus, de intimidade. Um lugar onde ali a nossa vida é gerada, a onde a nossa vida é reformada, a onde a nossa vida é transformada, e curada por Deus. Onde as nossas mazelas, nossos problemas nossos pecados ficam diante do senhor no seu altar. Isso é adoração.
Começa com essa disposição de desejarmos parar o mundo, parar com a agitação, parar com que estamos fazendo, deixar as coisas passageiras e nos voltarmos para o eterno. 2 Co 4:18: “não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.”
Adoração é um convite de Deus para o eterno. Adoração é quando decidimos investir a nossa vida no eterno. E Parar para ouvir a voz de Deus, isso é o eterno. Todo o resto é passageiro, tudo tem um fim. Nossa própria vida aqui nesta terra tem um fim.
Em João 4:23: “ Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores.” Este texto é chave para a vida de adoração da igreja. E o primeiro princípio aqui é que Deus não procura adoração. Deus procura adoradores. Porque a adoração é um produto e adorador é uma maneira de ser. Deus procura o ser que adora e não o produto. O nosso enfoque deve ser no que é ser um adorador.
Existem algumas fórmulas gostosas e boas de como ministrar o louvor, existem coisas que podemos fazer para que melhore tecnicamente a adoração. Mas, a adoração tem a ver com o coração. A igreja tem gasto uma grande parte do seu esforço, de seus recursos, de seu potencial tentando produzir adoração, mas o que Deus mais quer é um coração de adorador. Um coração totalmente dele. O que significa um coração totalmente dele? O que isso significa na nossa vida.
Temos então cinco perguntas para meditarmos:
1.A quem adoramos? 2.Por que adoramos? 3. Aonde adoramos? 4. Quando adoramos? 5. Como adoramos?
Neste texto vamos tratar da primeira pergunta: 1.A quem adoramos?
O primeiro enfoque que a igreja precisa ter é qual o alvo da nossa adoração. Existem muitas pessoas que adoram a adoração. Estão mais envolvidas com o produto, com a música, com o cantar do que com o ser um adorador. E isso acontece porque a igreja tem o foco errado de quem é o alvo da nossa adoração. O que Deus quer ampliar em nossa vida como adoradores: é a quem nós adoramos.
Quando Jesus responde a Satanás na tentação do deserto, Ele diz “ ao Senhor teu Deus adoraras e somente a Ele darás culto”. Aqui Jesus define a quem adoramos: “só ao Senhor teu Deus”. E quando a bíblia enfoca “ só o Senhor teu Deus” ela está incluindo aqui uma trindade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Esse é o nosso alvo, o nosso foco. É para este foco que devemos olhar: é a Deus que nós queremos, é por Ele que somos apaixonados, é a Ele que desejamos adorar. Ele é o alvo da nossa adoração. Ele é o grande “Eu Sou”. Aquele que tem que ser entronizado, que tem que ser constantemente enfocado pela igreja.
Sabem o que é um ídolo? É tudo o que fica entre você e Deus. Idolatria nós pensamos muitas vezes em “santinhos”, amuletos. Idolatria é qualquer coisa que fique entre nós e Deus. Qualquer coisa que tira do foco do “quem é digno de adoração”. Os ídolos deste mundo hoje não são mais feitos de madeira, de bambu ou de gesso. Os ídolos deste mundo atualmente são mais poderosos porque eles roubam o coração, roubam a alma, roubam o espírito, estão roubando o coração de toda uma geração. É preciso que estes ídolos sejam acusados, retirados para que o foco a quem devemos adorar seja ampliado na vida da igreja.
Hoje adoramos um sistema. Mas a nossa visão deve ser Deus. O centro de todas as coisas deve ser Deus. A nossa visão, o centro de todas as coisas deve ser a glória de Deus. Todas as outras coisas são estratégias preciosas que Deus nos dá para viver, mas temos que adorar e invocar é a Deus. O Deus Pai, o Deus filho, o Deus Espírito Santo deve ser colocado à frente da igreja em tudo que fazemos, em tudo que nós somos.
Ele é o nosso “quem” e isso só é galgado em nosso coração quando nós conhecemos a Deus.  Não podemos entronizar Deus se não o conhecemos. O que devemos fazer é levar todo irmão, toda irmã, todo novo convertido a ter essa visão pessoal de Deus. É algo que Deus quer gerar no coração de cada um de seus filhos.
É essa visão que sustenta a vida. Quem tem uma visão de Deus de que Ele é o nosso “quem” jamais voltará a trás. Quem tem uma visão clara de Deus em seu coração, a revelação de que Ele é o centro de todas as coisas, que Ele é a razão de todas as coisas. E galgar com Ele nessa comunhão significa que pode desaparecer o mundo em baixo de nós que ficamos agarrado e sustentado na mão de Deus.
Na minha experiência pessoal quando eu estava em Cuba ministrando para os irmãos, recebi a notícia de que minha esposa grávida de oito meses foi assaltada e baleada na frente de nossa casa e estava na UTI. Quando soube da notícia me faltou o chão embaixo. Mas eu tinha uma corda que me segurou e me sustentou que era a minha comunhão com Deus.
Eu tinha certeza que a minha vida e a vida de minha família estavam nas mãos de Deus e que ali eu estava seguro. Eu tinha a corda da fé, do conhecimento da presença de Deus.
E aquilo que o diabo veio para roubar, matar e destruir começou a se fortalecer. É nessas horas começamos a conhecer mais a Deus. É nas horas mais difíceis que Deus se amplia. Esse “quem” precioso e maravilhoso começa a se ampliar na nossa frente, na hora da luta, das tribulações. Tudo o que é natural acaba, tudo o que confiamos neste mundo acaba, mas quem conhece a Deus jamais será abalado.
E esta situação em que eu estava vivendo foi um milagre atrás do outro. Enquanto eu estava em Cuba, sendo moído, sem poder sair da ilha, sem poder agir por mim mesmo. Eu só podia ficar pendurado no meu “quem” precioso, no meu Deus amado. Esse “quem” que adoramos deve estar na frente das nossas vidas em todos os momentos sejam eles bons ou ruins, nos momentos de dificuldade e até mesmo nos momentos de terror, nos momentos de perseguição.
Conheço irmãos no Oriente médio que a única coisa que lhes resta é essa corda. Perderam tudo por causa da guerra no Iraque. Eu estava nestes dias no Oriente Médio, quando sai as pressas do Líbano para a Ilha de Chipre para poder retornar ao Brasil porque os aeroportos estavam fechados.
Conhecia um irmão Iraquiano que perdeu tudo. Ele saiu de sua casa com a esposa, o filho e caminhou km e km com a roupa do corpo, debaixo de bombardeiro. Quando conseguíamos contato com ele, ele dizia: “Eu estou firme. Deus está cuidando de nós.” Nesta situação, ele estava lá adorando com seu alaúde tocando pra Deus. Este é uma pessoa que conhece e que sabe a quem adora.
Adoração não é um fruto de estarmos no sentindo bem ou mal. É fruto de nós conhecermos a Deus.
Asaph Borba
http://www.youtube.com/watch?v=pdZjkZG8l6k   Louvado no dia 25 de setembro na Igreja Assembleia de Deus em Itapissuma IV, no encerramento das festividades da UMADI
O Senhor é nossa força nosso refúgio e n'Ele confiaremos